Dor de cabeça, dor muscular, náusea e manchas avermelhadas na pele estão entre os principais sintomas da febre Chikungunya. A doença conhecida como “prima da dengue” vem recebendo a atenção da Secretaria da Saúde que está realizando um trabalho de orientação com os moradores de Valinhos.

Apesar de não haver nenhum caso registrado no município, os cuidados com a doença devem ser redobrados já que ela pode ser transmitida pelo mosquito aedes aegypti.

Equipes da Saúde Coletiva tem visitado casas e orientado a população sobre a eliminação de possíveis criadouros do mosquito. Além do trabalho com a população, 60 profissionais da saúde de Valinhos já foram treinados, no ano passado, para o atendimento de casos suspeitos.

A maior dificuldade é saber diferenciar os sintomas da febre chikungunya, que são muito parecidos com os da dengue. Porém o tratamento é diferente e o risco de uma epidemia aumenta. De acordo com a secretária da Saúde, Dra. Rita Longo, os sintomas que o paciente apresenta são febre repentina acompanhada de dores nas articulações entre quatro e oito dias após a picada do mosquito infectado.

Segunda ela, outros sintomas, como dor de cabeça, dor muscular, náusea e manchas avermelhadas na pele, fazem com que o quadro seja parecido com o da dengue. A principal diferença são as intensas dores articulares. Em média, os sintomas duram entre 10 e 15 dias, desaparecendo em seguida.

Os primeiros casos da febre Chikungunya chegaram a Campinas entre maio e junho de 2014, depois da contaminação de 13 soldados que voltaram de uma missão de paz no Haiti. Todos foram isolados e tratados na ocasião.