Cerca de 12 milhões de brasileiros têm Diabetes e esse número tende a crescer nos próximos anos. As estatísticas estão muito relacionadas com o aumento da incidência de obesidade no país e com o sedentarismo.

A informação é da secretária de Saúde, Dra. Rita Longo, que alerta também sobre a pré-diabetes, quando o paciente tem potencial para desenvolver a doença. Já no caso do diabetes tipo 1 não existe pré-diabetes, a pessoa nasce com uma predisposição genética ao problema e a impossibilidade de produzir insulina, podendo desenvolver o diabetes em qualquer idade.

Outro estágio da doença é o diabetes gestacional, acarretado pela maior resistência à ação da insulina na gestação. O que leva ao aumento nos níveis de glicose no sangue. O problema pode ou não persistir após o parto.

O tratamento do diabetes tipo 2 é feito com medicamentos orais ou injetáveis, contudo, com o passar do tempo, pode ocorrer o agravamento da doença. Esse tipo ocorre em cerca de 90% dos pacientes com diabetes. A atividade física é essencial no tratamento do diabetes para manter os níveis de açúcar no sangue controlados e afastar os riscos de ganho de peso.

Além dos exercícios a pessoa com diabetes deve evitar os açúcares simples presentes nos doces; e carboidratos simples, como massas e pães, pois eles possuem um índice glicêmico muito alto. O diabético deve dar preferência aos carboidratos complexos: castanhas, nozes, grãos integrais, alimentos que tem índice glicêmico baixo e são absorvidos mais lentamente, retardando o aumento das taxas de glicose no sangue.